Início » Carreira Turbinada » Relacionamento Interpessoal nas Organizações
Relacionamento Interpessoal nas Organizações

Relacionamento Interpessoal nas Organizações

Nunca se falou tanto sobre a importância do relacionamento interpessoal nas organizações.

Índice de Conteúdo

Isso porque, além de ser uma das habilidades mais destacadas pela área de recursos humanos, ela está vinculada a várias outras competências que serão demandas no futuro.

E que vão ocorrer no mundo do trabalho, em virtude da chamada – Quarta Revolução Industrial: era da robótica, da automação, da inteligência artificial e aprendizado decorrente de experiências vividas.

Sendo assim, ter um bom relacionamento interpessoal, que traduz a capacidade do profissional trabalhar em equipe e de forma colaborativa, será um grande diferencial.

Ocorre que, para existir um bom relacionamento no trabalho, precisamos perceber como funcionam as relações humanas.

Além disso, compreender que existem outros fatores preponderantes e que interferem diretamente no relacionamento como:

  • Relacionamento Intrapessoal;
  • Inteligência Emocional;
  • Comunicação Interpessoal.

Para que você entenda melhor sobre a importância do Relacionamento Interpessoal nas Organizações, precisamos minimizar alguns questionamentos.

O que são Relações Humanas?

Desde os primórdios, o ser humano percebe a necessidade de se socializar, seja para o desenvolvimento individual, intelectual ou do próprio grupo.

Sendo assim, podemos descrever relações humanas, como a capacidade de interação entre duas ou mais pessoas, com o objetivo de manterem um relacionamento.

Com isso, podemos afirmar que a ação de se relacionar é adotada em praticamente todas as áreas da vida humana, como:

  • Pessoal;
  • Familiar;
  • Social;
  • Religiosa;

E Profissional, que passou a ter um destaque maior no início da década de 30, com a Teoria das Relações Humanas.

Essa teoria, que faz parte do conjunto das teorias administrativas, tem por premissa:

  • O ser humano não pode ser reduzido a um ser mecânico, onde seu comportamento é apenas automático, isto é, suas atitudes e ações são mais profundas e complexas que de uma máquina;
  • O ser humano é orientado pelo sistema social, concomitantemente com suas necessidades biológicas;
  • O ser humano possui necessidades essenciais para viver como: segurança, afeto, aprovação social, prestígio e autorrealização.

Por esta razão, percebemos que as relações humanas nas organizações passaram a ter uma visibilidade maior, bem como a serem estudadas de forma científica.

Mas, para que exista um bom relacionamento interpessoal nas organizações, é preciso saber:

O que é Relacionamento?

Trata-se de uma ligação, entre indivíduos, que se conectam através de objetivos e interesses comuns.

Essas conexões, podem ocorrer de forma:

AfetivaBaseada nos sentimentos entre as pessoas.

Como acontece com: familiares, casais e amigos.

Entretanto, não surgem por conta de uma obrigação, e sim, pela afinidade emocional e intelectual, pela cumplicidade e afeto.

ProfissionalBaseada nas relações que surgem no ambiente de trabalho.

Que também pode ser capaz de criar uma relação afetiva, contudo o seu surgimento é em detrimento da relação de trabalho.

Ocorre que para ter um bom relacionamento, tanto afetivo quanto profissional, é preciso ter um bom Relacionamento Intrapessoal, por esta razão precisamos compreendê-lo.

O que é Relacionamento Intrapessoal?

Conceitualmente, dizemos que o relacionamento intrapessoal está baseado no quanto a pessoa é capaz de se relacionar consigo mesma.

Isto é, o quanto ela se conhece e consegue se relacionar com suas emoções e sentimentos.

Para que isso ocorra, é preciso que o indivíduo olhe para dentro de si com o objetivo de se conhecer e identificar seus pontos fortes e a serem melhorados.

Que ele tenha a capacidade de identifica qual é o seu objetivo de vida e propósito para a sua carreira.

Por esta razão, é importante que o nosso relacionamento intrapessoal seja o mais harmonioso possível e para que isso aconteça, é preciso:

Autoestima

A autoestima está relacionada às emoções e sentimentos que temos conosco e ao que pensamos e julgamos sobre nós mesmos.

Quanto mais elevada for, mais desenvolvemos confiança e credibilidade em nós.

A autoestima promove a aceitação, o reconhecimento e não apenas o conhecimento de si. Em outras palavras, torna o indivíduo capaz de refletir sobre si, para manter ou mudar comportamentos.

Autoconhecimento

Requer dedicação, motivação e energia para compreender quem somos e de forma profunda.

O autoconhecimento nos permite conhecer quais as nossas qualidades, habilidades e capacidades, assim como:

O que é necessário desenvolver e aprimorar para nos tornarmos melhores.

Isto é, nos possibilita conhecer nossas emoções e como podemos nos relacionar com elas de forma inteligente.

Por este motivo que a Inteligência Emocional é um dos fatores que contribuem para o bom relacionamento intrapessoal e interpessoal.

O que é Inteligência Emocional

É a capacidade que uma pessoa tem de refletir e agir de maneira consciente e, usando a inteligência, não permite que as emoções detenham o controle.

Em outras palavras, é a capacidade que as pessoas têm de administrar suas emoções.

Na realidade, administrar as emoções não significa deixar de senti-las, mas sim buscar mecanismos para gerenciá-las de modo inteligente, não concordando que se sobreponham à sua vontade.

Conforme Daniel Goleman:

“Para o bem ou para o mal, quando são as emoções que dominam, o intelecto não pode nos conduzir a lugar nenhum.”

Sendo assim, quanto mais se consegue manter a inteligência emocional e fazer uma leitura sobre as próprias emoções, mais somos capazes de perceber o outro.

Isto é, percebendo melhor o outro, seremos mais bem-sucedidos nos nossos relacionamentos interpessoais.

Porém, para que ocorra um bom relacionamento interpessoal nas organizações, além de mantermos um excelente relacionamento intrapessoal e o desenvolvimento da inteligência emocional, precisamos ter efetividade na comunicação.

Como funciona a Comunicação Interpessoal?

A comunicação interpessoal é um método de comunicação que ocorre entre duas ou mais pessoas, onde o emissor e o receptor, trocam informações entre si.

Essa troca de informações é baseada na compilação das vivências, das emoções, na formação cultural e nas particularidades de cada envolvido na comunicação.

Quero dizer que, o mais importante na comunicação interpessoal é o quanto os interlocutores estão atentos e se sentem responsáveis pela troca das informações, pelo processo e o êxito da comunicação.

Afinal, temos que atentar que cada qual tem suas experiências de vida, vivências culturais diferentes e o que pode ser óbvio para um, não necessariamente será para outro.

Estamos sempre tendenciosos a acreditar que a outra pessoa sempre sabe do que estamos falando.

Aliás este tipo de comportamento causa muito ruído e interferência nas relações interpessoais.

Contudo, óbvio também precisa ser dito.

Na comunicação interpessoal, de acordo com Peter Drucker:

“O mais importante na comunicação é ouvir o que não está sendo dito.”

Eu ajustaria a frase dele para:

“O mais importante é escutar o que não está sendo dito.”

Sim, porque a habilidade da escuta ativa, vai além de ouvir o outro.

O que é Escuta Ativa?

Trata-se de um dos principais fatores para que o relacionamento interpessoal no trabalho aconteça de forma relevante e efetiva.

A escuta ativa é uma habilidade, que pode ser desenvolvida tecnicamente, muito importante no processo de comunicação interpessoal.

Ela permite que o interlocutor e o ouvinte estabeleçam uma comunicação eficiente e eficaz.

Sendo assim, durante a escuta ativa, ocorre uma conexão, que permite empatia entre ambos, através da comunicação verbal e não verbal.

Ou seja, as pessoas interagem com expressões, perguntas, bem como parafraseiam ao longo da comunicação, para que possam avaliar o entendimento e compreensão do que foi comunicado (mensagem).

É uma forma de dar e receber feedback.

Até aqui, vimos o quanto o relacionamento intrapessoal, a inteligência emocional e a comunicação interpessoal, são importantes para se obter êxito no relacionamento interpessoal no trabalho.

A partir de agora, vamos entender a importância do relacionamento interpessoal nas organizações, quais os ganhos para as empresas e como podemos melhorar essa habilidade no trabalho.

Qual a Importância do Relacionamento Interpessoal nas Organizações?

Já dissemos aqui que o ser humano é um ser sociável, pensa, age, sente e se comunica de forma diferente.

Em um ambiente de trabalho, essa diferença na comunicação precisa de atenção, pois pode impactar diretamente nas relações, assim como no clima da organização.

Se por um lado a boa comunicação gera aumento de produtividade e colaboração, quando não ocorre de forma positiva, pode gerar baixo resultado, pouca produtividade e principalmente conflito entre os colaboradores.

O que a Empresa ganha Investindo no Relacionamento Interpessoal?

Sabemos que o clima organizacional influencia diretamente na motivação e no comportamento dos colaboradores, assim como os colaboradores influenciam diretamente nos resultados da empresa.

Por este motivo, elas estão cada vez mais focadas em desenvolver esta habilidade, que contribui para um bom trabalho em equipe, mais colaboração e melhores resultados financeiros e em produtividade.

Portanto, é necessário entender a importância do relacionamento interpessoal, sua influência nos ganhos de uma organização, bem como sua influência na carreira de um profissional.

Afinal, quando entendemos a sua importância, conseguimos identificar que o relacionamento vai além de uma simples relação de trabalho entre dois profissionais.

Porque, na visão corporativa, conceitualmente:

Relacionamento Interpessoal no Trabalho está vinculado ao comportamento dos profissionais, seja mediante conflitos, crises ou em outras circunstâncias.

Inclusive, como lidam com suas emoções e com o comportamento e os perfis diferentes dos demais profissionais.

Por isso, ao investirem no relacionamento interpessoal, as organizações promovem:

  • Maior engajamento dos colaboradores;
  • Diminui o índice de rotatividade;
  • Aumenta a lucratividade;
  • Reduz o índice de absenteísmo;
  • Amplia a competitividade no mercado;

E, principalmente, elevam o percentual de motivação dos colaboradores entre si e, entre eles e a empresa.

Ocorre que, o papel de potencializar o relacionamento positivo no trabalho não deve ser apenas das empresas, mas também de cada profissional.

Que precisa assumir este desafio, em comunhão com a empresa, para melhorar e ampliar relações.

Como melhorar o Relacionamento Interpessoal no Trabalho?

Desenvolva habilidades que permitam com que você consiga exercer o relacionamento interpessoal de forma genuína, efetiva e que proporcione aos seus colegas, empresa e a você mesmo, um ambiente assertivo.

Para isso:

Busque Autoconhecimento

Quanto mais você se conhecer, mais chances terá de reforçar e potencializar comportamentos positivos e minimizar comportamentos que possam influenciar negativamente os seus relacionamentos.

Ao se observar, você perceberá melhor o outro e terá a oportunidade de contribuir com ele.

Tenha Empatia

Diferente do que muitos dizem, a empatia não é só se colocar no lugar do outro, mas também olhar pela ótica do outro, sem julgamentos.

Entendendo a visão de um colega de trabalho, você foca nos fatos e, com isso, tem a oportunidade de avaliar melhor as circunstâncias, sem que haja interferência pessoal.

Isso não significa que você tenha que concordar ou discordar, apenas perceber e entender como o outro vê a situação.

Mantenha Educação e Simpatia

Quando você é educado e simpático, gera conexão.

Um cumprimento e um bom sorriso no rosto sempre foram mecanismos de atração, contudo a falta deles contribui para que haja animosidade nas relações interpessoais.

Consequentemente gera um clima organizacional enfraquecido.

Atue de Forma Colaborativa

Quanto mais você contribuir com suas experiências, conhecimentos e habilidades, mais o relacionamento interpessoal no trabalho será efetivo.

Um bom relacionamento interpessoal compreende troca.

E quanto mais você oferecer o seu melhor, para o seu gestor ou colegas de trabalho, mais as relações profissionais se consolidam e se tornam positivas.

Desenvolva a Habilidade da Escuta Ativa

Como já dissemos, a escuta ativa é muito mais do que ouvir o que o outro diz, e sim escutá-lo na sua íntegra.

Evite distrações quando estiver interagindo com um colega de trabalho, preste atenção no que ele diz, como diz e promova uma conexão com ele.

Interrupções na comunicação sempre provocam mal-estar e compromete as relações.

Para uma boa escuta ativa é preciso desenvolver a capacidade de perceber o outro na sua essência, sem julgamentos e preconceitos. Respeitando as diferenças que, certamente, possam existir.

Se interesse pelo outro de forma genuína e ele também agirá com você da mesma forma.

Reconheça seus Erros

Errar é humano e, com as mudanças aceleradas que a tecnologia impõe, o erro passou a ser mais aceitável no mundo corporativo.

Aliás, hoje em dia o erro é considerado parte do processo, porque quem não erra, provavelmente não tentou.

O enfoque não está no erro, mas sim no quanto você foi rápido para corrigi-lo e aprendeu com ele.

Na visão das Statups:

“Deve-se aprender errando, contudo o mais importante e errar rápido e barato para corrigir o erro logo em seguida.”

Sendo assim, reconhecer o erro é uma virtude e impacta diretamente nas relações interpessoais, como por exemplo nas relações entre gestores e colaboradores.

Reconhecer um erro, gera confiança e credibilidade entre as partes.

Saiba receber e fazer críticas

Assim como você aprende com os erros, aceitar críticas faz parte do aprendizado e do desenvolvimento pessoal e profissional.

Avalie cuidadosamente as informações críticas que receber e não tome como questões pessoais.

Analise os fatos, seja humilde ao reconhecer seus equívocos e agradeça pela oportunidade de aprendizado.

Entretanto, esse comportamento não pode ser apenas ao receber as críticas, mas principalmente ao fazer.

Para ter um bom relacionamento interpessoal no trabalho, você deve evitar acusações e sim manifestar opiniões, dar feedback construtivo e corretivo e não agir com grosseria.

Ao fazer críticas, o seu colega de trabalho deve interpretar as suas informações como forma de aprendizado, como uma maneira de você contribuir com o crescimento dele.

Podemos concluir então, que as competências comportamentais são atualmente as mais valorizadas nos ambientes organizacionais.

Que desenvolver a habilidade de se relacionar profissionalmente, pode proporcionar mais oportunidades para a sua carreira.

Aliás, de acordo com o que foi apresentado no Fórum Econômico Mundial as competências que todos os profissionais vão precisar desenvolver para o futuro, estão praticamente relacionadas à capacidade dele se relacionar.

E, nesse caso, destacamos, além da Inteligência Emocional que já foi citada, a Gestão de Pessoas e a Orientação para Servir.

Sendo assim, quanto mais você desenvolver comportamentos que contribuam para que o seu relacionamento interpessoal seja positivo, mais você terá chance de se manter sustentável no mercado de trabalho.

Este conteúdo foi útil?

2 comentários em “Relacionamento Interpessoal nas Organizações”

    1. Carla Coelho

      Olá Delaíse,

      Que bom que gostou!

      Para nós este assunto é muito relevante, porque impacta em diversos fatores dentro de uma organização.
      Se não trabalharmos os relacionamentos, certamente não teremos outras competências fundamentais para a carreira e para os negócios.

      Sucesso Sempre minha querida!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

QUER TURBINAR SUA CARREIRA?

Receba conteúdo sobre Carreira.

   

Cadastrado com Sucesso!

Rolar para cima